Banco estatal chinês muda tom sobre Bitcoin

A China possui hoje o maior mercado de criptomoedas do mundo. Lá estão localizadas as principais exchanges de ativos digitais e até mesmo algumas moedas próprias com bastante valor de mercado.

Por outro lado, o governo chinês aponta bastante restrição a essa tecnologia. Há alguns meses, uma lei passou a impedir a movimentação de criptomoedas no país, limitando bastante a ação dos investidores.

Agora, o tom parece estar mudando. Em uma propagando publicada pelo banco estatal do país, Bank of China, é apresentado um histórico sobre o Bitcoin, desde seu desenvolvimento, a primeira venda de duas pizzas no valor de 10 mil BTCs e até mesmo citando o Libra, criptomoeda do Facebook.

O gráfico destaca também o crescente interesse de países asiáticos na tecnologia, detalhando algumas características únicas, como anonimato, descentralização e a dificuldade em falsificar esse tipo de moeda.

A ação publicitária ocorreu pouco depois que o tribunal chinês declarou como legal a moeda virtual mais famosa do mundo, considerando-a como um ativo digital ou como “propriedade virtual”. Desta forma, donos de criptomoedas na China estão protegidos contra disputas de posse a partir de agora.

Ren Zhengfei, CEO da empresa de tecnologia Huawei, em conferência na Itália, afirmou que a China poderia competir tranquilamente com o Libra, do Facebook, se o país criasse sua própria criptomoeda.

Atualmente, a China é responsável por 61% da mineração de criptomoedas em todo o mundo, além de movimentar um volume altíssimo do ativo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

arrow_upward
pt_BRPortuguês do Brasil