Estados Unidos estudam criar “Bitcoin” do dólar

O Bitcoin trouxe ao mundo uma nova forma das pessoas se relacionarem com o dinheiro e apresentou ao mundo não apenas uma tecnologia nunca antes vista, mas também outros milhares de ativos digitais.

Essa novidade fez com que milhões de pessoas começassem a comprar as criptomoedas, fosse pelo alto poder de rentabilidade apresentado pelos ativos, pelo novo método de reserva de valor confiável ou até mesmo para driblar crises econômicas em seus países.

Por se tratar de um ativo descentralizado, o Bitcoin e muitas outras moedas digitais levaram medo aos governos que viram seu poder ser enfraquecido pouco a pouco. Para evitar, logo de início, muitas autoridades fizeram campanhas e proibições contra as criptomoedas. Com a disputa pendendo sempre para o lado do Bitcoin, a resistência foi caindo e a visão de chefes de Estados, hoje, é bem diferente.

Porém, os Estados Unidos continuam vendo sua economia ameaçada pelas criptomoedas, como aponta uma carta de Jerome Powell, assinadas por Bill Foster e French Hill ao presidente do FED. “Nós estamos preocupados que a supremacia do dólar dos EUA possa estar em risco a longo prazo por causa da ampla adoção dos ativos digitais fiduciários. Internacionalmente, o Banco de Compensações Internacionais conduziu um estudo que descobriu que mais de 40 países ao redor do mundo estão desenvolvimento ou estão interessados em desenvolver moedas digitais”, dizia o texto.

Hoje, o dólar é o grande poder que permite os Estados Unidos a controlar outros países, sem ser por meios bélicos. Nações que não compactuam com a política norte-americana sofrem com sanções comerciais pesadas e, em consequência, acabam se afundando em uma crise econômica grave.

A China, por exemplo, em guerra financeira com os Estados Unidos, já planeja lançar uma criptomoeda estatal no próximo ano. A Venezuela, também para tentar escapar da hiperinflação e sanções, desenvolveu o Petro, uma moeda digital lastreada nas reservas de petróleo do país.

Essa é a mesma visão que o presidente do Federal Reserve da Filadélfia, Patrick Harker, tem. Segundo a autoridade, a criação de um ativo digital para o dólar “é inevitável. Acho que é melhor começarmos a trabalhar em relação a isso”, destacou Harker.

As criptomoedas estão mudando o modelo econômico atual e muita coisa ainda está para acontecer. Mas países já viram a importância dessa nova tecnologia e estão se movimentando para acompanhar esse cenário. Na Cryptal, você também pode fazer parte desse mercado e se antecipar ao que muitos ainda não querem ver. Acesse o site e confira os planos de adesão da consultoria de investimentos Cryptal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

arrow_upward
pt_BRPortuguês do Brasil
en_USEnglish pt_BRPortuguês do Brasil