Interesse do Banco Central dos EUA eleva valor do Bitcoin

O que começou devagarinho, lá em 2009, parece não estar encontrando limites para sua expansão hoje. O Bitcoin acumula, todos os anos, uma valorização muito interessante. Em 2019, por exemplo, ele registrou um crescimento de quase 96%.

Este ano, a moeda digital mais famosa do mundo mostrou ainda ter muita lenha para queimar e principalmente o interesse em todo o mundo, inclusive de quem torcia o nariz para a nova classe de ativos digitais, como os Estados Unidos.

No país, são explícitas as críticas que o atual presidente Donald Trump faz às criptomoedas. Porém, a maior autoridade do FED (Banco Central norte-americano) Jerome Powell, está indo contra a opinião do chefe de Estado.

Durante audiência no Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos EUA, o presidente do FED diz que a instituição está estudando as moedas digitais. “Penso que é muito importante para nós e para outros bancos centrais entender os custos e benefícios associados a uma possível moeda digitais”.

Após a declaração, o preço do Bitcoin no mercado se movimentou para cima. A moeda digital passou a ser cotado em R$ 44,8 mil – uma valorização de 4,12%, em muito pouco tempo.

A fala de Jerome Powell também deixou no ar a expectativa de uma possível aceleração no processo regulatório das criptomoedas no país. Pela influência que o país apresenta hoje, essa ação poderia iniciar uma reação em cadeia, em que outros Estados também avançassem em suas regulamentações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

arrow_upward
pt_BRPortuguês do Brasil