Cauteloso, Bitcoin mantém recuperação de preços

A bolsa de valores brasileira não acompanhou o humor positivo do mercado internacional e fechou a terça-feira (21) em queda. O Bitcoin aproveita também os fundamentos mais controlados para manter a recuperação de preços, mas ainda na presença de cautela.

Ontem, o IBOVESPA teve leve subida de 0,03%. Hoje, o índice reverteu, com descida de 0,17%. O dólar recuou, ficando cotado a R$ 5,15.

Pelo Brasil, as atenções continuam voltadas para o futuro da Petrobras, que recentemente viu a renúncia de seu terceiro presidente. O risco fiscal, na tentativa de controlar o preço dos combustíveis e gás de cozinha também pesam. O ministro da Economia disse ainda que os servidores devem ter um aumento salarial apenas no próximo ano, enquanto a ata da última reunião do Copom mira a manutenção da elevação da taxa de juros. Lá fora, a agenda econômica é fraca nos Estados Unidos, na retomada das atividades pós-feriado. Na China, a incorporadora Evergrande espera anunciar um plano de reestruturação financeira até o fim de julho, após o calote de dívidas no último ano.

Enquanto os mercados tradicionais operam de forma positiva nesta terça-feira, o Bitcoin segue a recuperação de preços, mas ainda em território de cautela. Após perder brevemente os US$ 20 mil na última manhã, a criptomoeda de referência voltou ao suporte e, durante a sessão asiática, empurrou ainda mais o preço para cima, buscando uma máxima de US$ 21,7 mil. Agora, em ajuste, a moeda digital é comercializada a US$ 20,7 mil. No Brasil, a média de negociação é de R$ 107 mil.

Com os fundamentos macroeconômicos mais calmos neste início de semana, principalmente por conta do feriado de segunda-feira nos Estados Unidos, os investidores encontraram um respiro para se arriscar um pouco mais nos mercados acionário e cripto. Segundo os analistas da Cryptal Digital, o apetite ao risco oscila, por conta das dificuldades em prever quais medidas serão adotadas pelos Bancos Centrais sobre a inflação global, ao mesmo tempo em que há grande possibilidade de recessão em grandes economias, como a norte-americana.

Em uma olhada nos dados on-chain, nossa equipe observa que, até ontem, pouco mais de 56% das carteiras de Bitcoin ainda estavam no lucro, mesmo com a baixa recente. Historicamente, o gráfico da Glassnode sugere fundos macros com este indicador abaixo deste nível, sugerindo uma possível continuação da queda. Os derivativos, entretanto, contam uma história um pouquinho diferente. O volume de contratos vendidos, ou seja, aqueles que esperam a queda do Bitcoin, segue em alta. Isso aponta para a possibilidade de um short-squeezy, quando muitos contratos shorts são eliminados, os obrigando a comprar o ativo e, assim, elevando rapidamente o preço da moeda. Algo semelhante aconteceu ao token da plataforma Celsius, que subiu 60% neste processo, após as polêmicas de falta de liquidez da última semana.

Nas métricas do dia, o suporte do Bitcoin fica em US$ 17 mil, e a resistência em US$ 22,9 mil, segundo o indicador de Fibonacci, em um tempo gráfico de 24 horas. O RSI sobe para 32%, com o mercado ainda mais vendido, e o MACD continua com as linhas cruzadas para baixo.

Este foi o boletim Cryptal News desta terça-feira. Veja essa e outras análises em nosso WhatsApp e nos canais de áudio oficiais. Siga a gente também nas redes sociais para acompanhar o dia a dia de nossa equipe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

arrow_upward
pt_BRPortuguês do Brasil