#758 – Bitcoin sustenta briga pelos US$ 23 mil

Em dia misto no exterior, a bolsa de valores brasileira registrou ganhos nesta sexta-feira (5). O Bitcoin reduziu sua volatilidade com os dados do payroll nos Estados Unidos, mas ainda em busca dos US$ 23 mil.

Ontem, o IBOVESPA teve alta de 2,04%. Hoje, o índice manteve a tendência, com subida de 0,55%. O dólar recuou, ficando cotado a R$ 5,16.

Pelo Brasil, o mercado avalia que o ciclo de aumentos da SELIC pode já ter sido encerrado, embora o COPOM tenha deixado a porta aberta para novas subidas. Lá fora, a desaceleração nas vendas de semicondutores é mais um sinal da piora da economia global, já que os chips se tornaram uma boa referência da demanda global. Nos Estados Unidos, os dados do payroll vieram o dobro acima do esperado pelos analistas, retomando níveis pré-pandemia. A taxa de desemprego atingiu 3,5%, abaixo do consenso.

Com um dia de análise de dados econômicos, o Bitcoin operou com pouca volatilidade, mas ainda em busca dos US$ 23 mil. Pouco antes da abertura do mercado asiático, a criptomoeda de referência saltou de 22,3 mil para US$ 24,4 mil nesta manhã. Por duas vezes, os bulls tentaram romper o nível, mas sem sucesso. Agora, em ajuste, a moeda digital é comercializada a US$ 22,9 mil. No Brasil, a média de negociação é de R$ 118 mil.

Embora os dados do payroll tenham vindo consideravelmente acima do esperado, os mercados operaram de forma mista e com certo viés de baixa nesta sexta-feira. Segundo os analistas da Cryptal Digital, com cada vez mais consumo, graças ao volume alto de emprego, o mercado precifica que a inflação pode continuar intensa, pelo maior montante de moeda circulante. Consequentemente, um novo aumento de 75 pontos-base dos juros nos Estados Unidos volta ao radar.

Com o Bitcoin também pressionado hoje, a criptomoeda passou relativamente ilesa pelo vencimento de opções nesta madrugada. Nossa equipe lembra que com o ativo acima dos US$ 23 mil, os contratos de compra apontavam vantagem considerável na expiração. Já em US$ 22 mil, a data levaria equilíbrio às operações. A falta de movimentação mais brusca do Bitcoin hoje é observada ainda na taxa de financiamento neutra dos contratos futuros, que aponta 0,01% em diversas corretoras.

Nas métricas, o suporte do Bitcoin fica em US$ 22,6 mil, e a resistência em US$ 23,1 mil, segundo o indicador de Fibonacci, em um tempo gráfico de 24 horas. O RSI mira os 53%, com o mercado mais comprado, e o MACD faz o cruzamento para baixo de suas linhas.

Este foi o boletim Cryptal News desta sexta-feira. Veja essa e outras análises em nosso WhatsApp e nos canais de áudio oficiais. Siga a gente também nas redes sociais para acompanhar o dia a dia de nossa equipe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

arrow_upward
pt_BRPortuguês do Brasil