Dólar avança, enquanto Bitcoin vê liquidação de futuros

A bolsa de valores brasileira acompanhou o mercado internacional e encerrou a sexta-feira (19) com queda. O Bitcoin também corrigiu, após a liquidação de US$ 600 milhões em futuros e elevação do índice dólar (DXY).

Ontem, o IBOVESPA teve alta de 0,09%. Hoje, o índice reverteu um com descida de 2,05%. O dólar recuou, ficando cotado a R$ 5,16.

Pelo Brasil, a agenda econômica é fraca, com o foco dos investidores ainda voltado para as contas públicas e à campanha eleitoral. Lá fora, o índice de preço ao produtor disparou para 37,2%, na Alemanha, na base anual. Já as vendas no varejo do Reino Unido subiram 0,3% em julho. Pressionam os países da Europa uma manutenção não programada do principal gasoduto russo, em meio a aproximação do inverno. Nos Estados Unidos, representantes do Federal Reserve falaram novamente. Mais uma vez, o discurso dos formuladores monetários ainda é vago, com poucas pistas claras sobre como a instituição está avaliando a recente queda na inflação.

Seguindo a baixa no mercado tradicional, o Bitcoin passa por correção esperada pela análise técnica da equipe Cryptal Digital. Após uma lateralização intensa na última sessão, a criptomoeda de referência apontou uma queda rápida durante a madrugada, apoiada por liquidações de futuros. Agora, a moeda digital lateraliza mais uma vez, e é comercializada a US$ 21,3 mil. No Brasil, a média de negociação é de R$ 111 mil.

Os fundamentos macroeconômicos pouco se movimentaram em relação ao meio de semana. Ao contrário, as dúvidas seguem ainda mais fortalecidas. Segundo os analistas da Cryptal Digital, não só a inflação norte-americana é uma incógnita para o mercado, mas as possíveis restrições do gás russo ao restante da Europa podam não só aumentar a tensão entre os países, mas ainda elevar a já alta inflação por lá. Em meio a este cenário, o DXY avançou.

Afetado por todos esses eventos, o Bitcoin ainda precisou encarar o vencimento semanal de opções nesta madrugada. Apenas um preço acima dos US$ 23 mil daria vantagem ao bulls. Porém, com o fechamento abaixo disso, os bears tiveram vantagem. Junto com a expiração veio a liquidação de contratos futuros, justificando a forte queda na madrugada. Só nas últimas 24 horas, foram mais de US$ 600 milhões em posições encerradas, a grande maioria de contratos comprados.

Nas métricas, o suporte do Bitcoin fica em US$ 20,7 mil, e a resistência em US$ 21,6 mil, segundo o indicador de Fibonacci, em um tempo gráfico de 24 horas. O RSI desce para 35%, com o mercado mais vendido, e o MACD mantém suas linhas cruzadas para baixo.

Este foi o boletim Cryptal News desta sexta-feira. Veja essa e outras análises em nosso WhatsApp e nos canais de áudio oficiais. Siga a gente também nas redes sociais para acompanhar o dia a dia de nossa equipe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

arrow_upward
pt_BRPortuguês do Brasil